.

Photobucket
"A vida tem caminhos estranhos, tortuosos às vezes difíceis: um simples gesto involuntário pode desencadear todo um processo. Sim, existir é incompreensível e excitante..." (Caio F. Abreu)

domingo, 3 de abril de 2011

Esquecer para aprender...

Fernando Pessoa, o brilhante poeta português, escreveu certa feita: Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram, e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos, desencaixotar minhas emoções verdadeiras, desembrulhar-me, e ser eu.

O poeta, na ânsia de entender os porquês da vida, percebia que muito do que nos falam, ensinam, mostram, funciona, aos poucos, como camadas de tintas, a nos encobrir, a nos moldar. Quantas vezes ouvimos nos dizerem: emprego bom é emprego que paga bem, tentando nos convencer que o valor do salário deva ser a preocupação número um na nossa vida profissional. Outras tantas pessoas insistem em afirmar que importante é ter, possuir, gozar a vida naquilo que brilha aos olhos.

Há ainda, os que vivem pautados no egoísmo e autocentrismo, cuidando para que tudo, a princípio, seja deles para, em segundo momento, ser para eles, e em um terceiro momento, para os seus, jamais pensando no próximo ou na sociedade. Frente a tantas camadas de tintas que insistem em nos pintar, há que se perguntar: Por quais valores devo me pautar? Como viver? Qual a melhor bússola para me guiar?

Inevitável, para responder a essas perguntas, lembrarmo-nos de quem somos, de onde viemos e para onde vamos. É inevitável esquecer que somos apenas um corpo material, que vivemos apenas essa existência, e que todas as nossas experiências estão restritas entre o berço e o túmulo de uma única vida. Há que se aprender que somos Espíritos eternos.

E para aprender de um lado, há que se esquecer do outro. Como nos ensina o educador Rubem Alves, toda aprendizagem produz esquecimento.

Assim, esqueça que lhe ensinaram que você está aqui a passeio. Esqueça que lhe fazem crer que esta é sua única experiência. Esqueça que insistem em lhe convencer que as coisas acontecem por mero acaso, sem uma ordem Divina...Hum rum !

(Momento Espírita)

5 comentários:

Verinha disse...

Um texto que realmente nos faz parar e rever o real motivo de nossa existência e o que estamos fazendo com a mesma.

Uma beijoca em seu coração Fernando e um ótimo início de semana para você!

Verinha

Néia disse...

Oi querido amigo...
Viver é uma arte e saber viver de uma forma correta e simples é uma eterna aprendizagem.Ontem mesmo em um post colocava que nós temos o hábito de olhar lá adiante e nos esquecemos do agora.Ach que este mundo tão competitivo e egoísta reproduz este sentimento nas pessoas.Lindo demais este post,é pra ler e refletir da nossa real passagem aqui na terra.
Beijos e tenha uma ótima semana com paz e muito amor.

ANA ROOS disse...

Se não esquecermos de algumas coisas estaremos cheios demais de coisas que não usamos, e não sobrará espaço para que o novo chegue...

Uma das maiores dificuldades que encontro em ensinar os alunos mais velhos, aqueles que já passaram anos repetindo, repetindo sem coneguir aprender muito, é que eles tem dificuldade de jogar fora o velho, EU SOU BURRO, NÃO APRENDO, NÃO CONSIGO... Será que isso é só coisa de aluno com dificuldade?

Eu me esforço pra esquecer e preparo sempre um lugar para que o novo entre em mim, por mais difícil que seja...

Beijos Fernando, no seu coração!

Bibiana Benites disse...

Querido!
Bom te ver no "Enttreaspas". Fico sempre feliz com tua visita e tuas palavras de carinho.
Que essa semana seja maravilhosa pra ti também!
Beijos.

Elisabete disse...

Muito Obrigada pelas felicitações e participação no meu blog, fico muito contente.
seu blog é muito interessante....
tenha uma linda semana....abraço!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...