.

Photobucket
"A vida tem caminhos estranhos, tortuosos às vezes difíceis: um simples gesto involuntário pode desencadear todo um processo. Sim, existir é incompreensível e excitante..." (Caio F. Abreu)

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Viajando pelas "letras"...


Boa tarde pessoas ! Esta semana estava assistindo um capítulo da novela CORDEL ENCANTADO...hum rum...também sou noveleiro (desde que a história seja interessante). E esta produção da Globo tem arrancado elogios da crítica, tanto em relação ao cenário, quanto ao enredo. Impagáveis algumas atuações dos atores que dão vida aos personagens criados por Thelma Guedes e Duca Rachid, assim como a de TIMÓTEO, magnificamente interpretado por BRUNO GAGLIASSO que, após nos fazer rolar de rir com seu "italianinho" bígamo BERILO em PASSIONE, agora personifica maestralmente a figura de um Coronelzinho déspota e cruel, capaz de mandar chicotear a amante grávida...hum rum !

Poderia ficar aqui horas descrevendo as personagens e falando da importância do resgate que a novela faz a diversos aspectos do nosso Nordeste, magnífico, exuberante em suas riquezas humana, culinária e poética. Mas, vou me ater ao capítulo que fiz referência acima, onde a personagem ANTONIA, da bela LUIZA VALDETARO, em lágrimas comovidas, consegue escrever seu nome numa folha de papel. Um ato simples para a maioria de nós mas, de uma importância sem tamanho para uma mulher criada nos feudos Coronealistas da época que a novela retrata. Criadas para serem esposas, preferencialmente (ou condição sine qua non) de esposos ricos, às mesmas era negada qualquer tipo de educação que pudesse lhes "tirar" do caminho traçado pelos pais.

Não recordo com precisão das "palavras" que ela proferiu mas, em síntese, ela comentou que, sabendo ler, descortinaria um novo mundo, para onde ela poderia "viajar" sempre que preciso, tornando-se com isso uma pessoa mais feliz. E a felicidade dela foi tamanha que a fez não fugir com CIÇO, casando-se com o delegado BATORÉ (outra interpretação majestosa de OSMAR PRADO) que foi seu "professor".

Fiquei comovido com a cena, ao tempo em que me imaginei "não sabendo ler". Caráca, creio que enlouqueceria, deixando de viver a vida com conhecimento, prazer e fantasia. Ler, é sonhar. É poder dar asas à imaginação, criando mundos particulares. É saber dos fatos históricos e sua importância no contexto mundial. É aliviar as pressões do cotidiano. É luz para a alma, e alimento para o espírito...

Um final de dia abençoado para todos nós !

4 comentários:

Néia Lambert disse...

Fernando, para nós que fomos criados com acesso à escola, tudo parece tão normal, nem nos damos conta do quanto é importante saber ler e escrever. Nem posso imaginar como seria a vida de outra forma.
De fato a cena da novela foi emocionante!

Um abraço.

Malu de Oliveira disse...

Oi amigo! Quanto tempo... Como eu disse a uma outra amiga, a falta de tempo e o cansaço não têm me deixado visitar meus amigos tanto quanto eu gostaria. Não sei se você sabe, mas estou a espera de um anjinho, uma estrelinha que se chamará Lia. Ando bem ocupada... Mas, arrajei um tempinho para vir aqui e te deixar um abraço.
A propósito, não saber ler é quase uma cegueira que nos impede de ler não só as palavras, mas o mundo.

Bjos.

Cristina Lira disse...

OOOOOOiiii Nando...Como vc está meu amigo! Trabalhando muito ai?
Espero que esteja tudo bem.
Não tenho tempo disponivel para assitir Cordel encantado, mas antes de ir pro trabalho, da tempo ver algumas cenas, e essa ai q vc falou, vi sim, e me emocionei tbm...Ler liberta, rompe cadeias.

Belo post.
Tudo de bom pra ti meu amigo
Xerooosss..abraços pra familia.
Fica com Deus.
Paz e bem!

C. disse...

Lindo texto!
Quando temos tudo disponível ao nosso redor nem sequer damos o merecido valor, talvez por isso sabemos reclamar mais que valorizar, porque temos acesso.
Eu nem sequer imagino também nao poder ler, ficar sem Internet, sem meu computador, sem meu blog...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...