.

Photobucket
"A vida tem caminhos estranhos, tortuosos às vezes difíceis: um simples gesto involuntário pode desencadear todo um processo. Sim, existir é incompreensível e excitante..." (Caio F. Abreu)

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Cortesia e respeito, fora de moda ?

Buenas gente ! Hoje acompanhei uma conversa dentro do busão entre dois jovens rapazes e uma moça. Falavam alto, gesticulavam e, o pior de tudo (na minha opinião), diziam palavras de baixo calão, principalmente a representante do sexo feminino. Deviam estar achando "graça" de tudo aquilo mas, quem estava dentro do coletivo certamente não...aí lembrei de um texto do Momento Espírita que versa sobre isso...Ei-lo, então, para nossa reflexão ! Tenham todos um abençoado fim de dia !

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Nunca será demais falar sobre cortesia e respeito. Em verdade, ambos bastante esquecidos na atualidade. Ambos vão perdendo cidadania a passos largos. É comum as pessoas falarem muito alto no ônibus, nos restaurantes, em lugares públicos em geral, desrespeitando os demais. E o mais delicado é que nem sempre a conversa é agradável. Às vezes se trata de críticas amargas ao governo, a parentes, a amigos.

Tudo vai sendo extravasado em altos brados, como se não houvesse outras pessoas próximas, compartilhando do mesmo ambiente. Não se sabe bem se a pessoa não tem condições de se ouvir e descobrir que está falando muito alto ou se ela deseja que os outros tomem conhecimento das suas ideias. Adolescentes e jovens esquecem, quase sempre, quando se encontram em grupos, que os lugares públicos não lhes pertencem com exclusividade.

Por isso, gritam, dizem palavrões, falam de situações grotescas. Gesticulam, andam aos empurrões, até esbarrando em idosos e crianças. Assim se tem tornado difícil para as famílias, em especial as que têm crianças, o passeio a parques e outros locais públicos. Como impedir que as crianças presenciem cenas tão indelicadas e ouçam um palavreado que não é habitual no seu lar?

E que dizer das discussões? Casais, amigos e colegas discutem seus problemas na rua, no estacionamento, em restaurantes, sem cerimônia alguma. Uma escritora relatou que presenciou, em um restaurante, várias famílias deixarem pelo meio os pratos na mesa e se retirarem. Tudo porque um casal resolveu brigar na mesa vizinha e não economizou o volume da voz. Muito menos o vocabulário grosseiro.

De maneira estranha, todos se sentem incomodados mas ninguém diz nada...humpft !

Alguns alegam que essas pessoas não estão infringindo a lei. E de fato não há lei que regulamente essas situações, que são uma questão de educação. Mas o que está nos faltando é uma tomada de posição. A primeira, educando os nossos filhos no respeito às pessoas. A segunda é nos manifestarmos, com energia e de forma educada, pedindo a essas pessoas que nos respeitem.

Bastaria um Por favor, falem mais baixo. Ou: Eu não gostaria que meus filhos ouvissem o que estão dizendo. Se todos passarmos a agir, essas pessoas terão que adotar uma nova postura, modificando-se e modificando o mundo.

10 comentários:

Ana C. disse...

Olá Fernando, apesar de não deixar comentários, direto dou uma passadinha por aqui.
Quero aproveitar para pedir que você dê uma passadinha no me blog (www.agroecologiamt.blogspot.com) e deixe por lá sua opinião.

Abraços

Malu disse...

Como dizia Datrino " GENTILEZA GERA GENTILEZA" e gentilezas, delicadezas, cortesias, suavidades e tudo o mais que é cor-de-roas, azul e outras nuances suaves, nunca são demais aos corações e as almas...
Bem postado, AMIGO!
Como sempre sábias colocações.
Abraços iluminados a ti

Néia Lambert disse...

Tudo é uma questão de educação mesmo, ser gentil, discreto, ter respeito é algo que vem de berço e como isso está faltando hoje em dia!

Um abraço.

Cacarol disse...

Sugere um livro para a Caracolinha ler,pode ser?
Obrigada e bom fim de semana~~~~

Verinha disse...

Realmente Fernando.. hoje em dia muitos valores foram perdidos inclusive o do respeito. E isso se tornou uma prática comum onde na sua grande maioria se esquece que o seu direito vai até onde inicia o direito do próximo.. mas.. como sempre fui muito radical e reconheço esse meu defeito rsrsrs.. tipos de acontecimentos assim, bem como outros, estão sempre relacionados com a educação.. e o que esperar de pessoas assim que cresceram tendo como exemplo situações semelhantes.. e como sempre disse.. não é apenas gerar.. tem que se educar. Eu falo que sou radical rsrsrsr creio que seja o "mal" da profissão rsrsrsr

Beijocas super em seu coração e um super fim de semana para você!

Verinha

Marília Felix disse...

"Se você souber olhar as coisas dum jeito mágico, tudo fica mais bonito."

Xerooooo Nando!
[:

Nadia Lis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nadia Lis disse...

Oi Fernando querido, estou voltando aos poucos,mas não poderia deixar de vir aqui ... esse texto me fez pensar... o que está acontecendo com nossos jovens? seria uma maneira de chamar a atenção?no meu entender sim,uma pena pq a mim, me parece muito mais encantador, ver uma pessoa educada que conversa num nivel de voz que não incomode ninguem e que não desrespeite os limites das outras pessoas...como diz o ditado, a educação vem de berço...o que tbm me fez pensar se não estamos envolvidos demais em nosso dia a dia, e esquecendo de ensinar os valores básicos de uma boa educação aos nossos filhos...coisas a se pensar.....
Um ótimo findi pra ti! Bjs

Luna Sanchez disse...

Boa educação é elemento básico para a vida civilizada...não vejo como possa ser diferente.

Lamentável, não?

Um beijo.

Dinorah disse...

Fernando,
Concordo com você. Parece ser tão difícil para certas pessoas terem empatia, colocarem-se no lugar do outro. tratar as pessoas como gostaria de ser tratado.
Um abraço
d
Dinorah

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...